Pare de usar o Wi-Fi público e salve o seu emprego

Se você é uma pessoa comprometida com a sua empresa e com o seu emprego, pare de usar o Wi-Fi público. Essa regra salvará o seu emprego. Veja porque a sua conexão individual importa.

 

 

Parece mais um dia normal no seu trabalho. Você está em viagem ao exterior, levando o celular e notebook da empresa, atendendo algumas reuniões e eventos. Lembre-se de baixar os e-mails usando o Wi-Fi do aeroporto, Starbucks ou do hotel no celular e no notebook da empresa antes de sair, para economizar o pacote de dados em roaming na conta da empresa. Você reconhece essa cena?

 

Parece ser uma situação normal. Afinal, aprendemos que o sinal da rede wireless do aeroporto, do Starbucks ou do evento está criptografado com o WPA. Além disso, a rede do hotel tem senha e é segura. Correto?

 

Errado! Quem disse as pessoas precisam quebrar a senha do Wi-Fi ou violar a criptografia da rede wireless para capturar os seus dados? Afinal, qualquer pessoa hospedada no mesmo hotel ou usando o mesmo Starbucks, estão acessando a mesma rede que você.

 

Todos os anos empresas são invadidas por hackers e dados são roubados porque indivíduos cometem falhas, gerando cerca de US$600 Bilhões em prejuízos para as empresas no mundo todo segundo dados publicados em 2017. Em resposta, milhares de empresas investiram um total de US$114 bilhões em tecnologias, softwares de segurança e treinamentos em 2018. Entretanto, a máxima entre os profissionais de segurança da informação é que “o ser humano é o elo mais fraco da corrente” na prevenção às fraudes e ataques nas corporações. Isso mesmo.

 

Se os seus funcionários estão viajando ao exterior e por questões de custo de roaming celular, eles estão usando o wi-fi gratuito dos hotéis e cafés nos exterior, saiba que você está colocando a corporação em risco, com uma grande ameaça internacional, muito maior e mais organizada do que as ameaças que você está tentando proteger no perímetro da sua rede corporativa.

 

As redes wireless tornaram-se um dos pontos mais importantes na captura de dados sigilosos pelos hackers, pois eles não precisam atacar a rede fisicamente. As pessoas vêm e vão até eles. Isso mesmo! É necessário apenas ligar os seus equipamentos nas redes wireless, ficar “escutando” o tráfego de todos os usuários, enviar para a nuvem e processar aquilo que melhor remuneram as suas investidas.
 
Veja algumas das ameaças que podem comprometer a segurança da sua empresa e dos seus dados:
 

  • DDoS para endereços específicos da rede, antes não conhecido pelos hackers. Isso mesmo. Só o fato de você acessar determinados endereços da sua rede, você já deixou rastros de endereços que poderão ser alvos de ataques direcionados. Já imaginou o CRM ou ERP da corporação fora do ar porque um ataque foi realizado para esses servidores?
  • Man-in-the-middle é responsável pela captura de dados confidenciais de clientes, parceiros de negócios, planos de lançamentos de produtos, M&A, informações financeiras da empresa e etc. Essas informações podem não ter valor financeiro para os hackers, entretanto, se publicadas na internet, poderão trazer grandes consequências para a credibilidade da corporação como um todo.
  • Vulnerabilidades e atualizações nos sistemas operacionais podem ser oportunidades para Malwares e Vírus, que podem ser hospedados em páginas fake da web dentro de redes wireless e acessadas por qualquer pessoa de forma inadvertida. Além disso, vulnerabilidades podem ser exploradas e não ativadas ao mesmo tempo, usando você como “cavalo-de-tróia”, distribuindo as ameaças para a corporação, em um determinado momento ou evento específico programado.

Veja como se prevenir das ameaças acima, independente de você estar no exterior ou não.
 

  • Primeiramente, evite as redes wireless públicas e gratuitas. Pagar pelas tarifas de roaming pode parecer caro, porém o prejuízo causado à empresa por uma invasão, fraude ou dano à imagem da empresa pode custar muito mais do que o imaginado.
  • Uma alternativa ao roaming celular internacional é o uso de chip celular pré-pago de operadoras do país visitado. Você deve incorporar nas despesas de viagem, o reembolso com a conexão de telefone e internet, permitindo que comprem planos pré-pagos ilimitados antes de sair do país. Nesse caso da troca de chip no exterior, use o aplicativo KickSIM para manter o seu número celular da empresa funcionando no exterior, sem comprometer a sua disponibilidade para a empresa, clientes, e familiares.
  • Mesmo usando uma conexão de roaming ou um chip pré-pago, também é recomendado que você sempre use uma conexão de VPN para minimizar os riscos de vazamento de dados.

Se você gostou desse artigo, clique nos botões abaixo e compartilhe com seus familiares e colegas de trabalho. Você pode salvar o emprego de alguém evitando que ele seja o elo mais fraco da corrente. Stay safe!

 

 

Photo by bruce mars from Pexels

Compartilhe

Deixe uma resposta